segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Disfarçar as praxes com as tunas

Sábado de manhã, a Tuna do INUAF atuava em pleno mercado municipal de Loulé. Não é desabitual, mas desta vez a Tuna cumpria um desiderato nacional das comissões de praxe: mostrar como as praxes são práticas saudáveis e puramente culturais. Nesse mesmo dia, nalguns pontos do país, também os movimentos anti-praxe denunciavam os abusos e práticas medievais e de submissão nas academias. 
A prática das tunas, por mais que se queira mostrar como um exemplo paradigmático das praxes, não o é, e nem tampouco ofusca o que se critica no fenómeno tradicional inventado e desenvolvido nos últimos tempos em muitas universidades públicas e privadas.

Sem comentários: