sábado, março 23, 2013

1900

1900 é um dos filmes mais emblemáticos de Rossellini. Filmado em 1976, reproduz a primeira centúria do século XX, contrabalançando a ascensão do fascismo mussoliniano com a organização sistemática das ligas camponesas e operárias da Itália e da Europa. Vi-o em Portimão, no Cine Teatro, em 1977, provavelmente, pois no ano seguinte já estava a viver em Faro. Recordava-me de muitas das cenas marcantes do romantismo (mais do que do neorealismo) do realizador, sobretudo das paixões, dos conflitos e das festas camponesas, entre o bucolismo dos campos e a paleta multicromática dos cenários reais. Mas, ao tempo, uma das marcas identitárias da luta antifascista, a morte do gato preto e branco - perpetrado pelo camisa azul representado pelo ainda jovem ator Donald Sutherland - foi uma das representações simbólicas mais evidentes.
No passado sábado a RTP apresenta a primeira parte do filme (que tem cerca de seis horas) a altas horas da noite. Dou por ele por acaso, no zapping à espera do Eixo do Mal, e vejo-o a partir do momento em que o descobri, anunciando-se a segunda parte para hoje. Uma busca incessante encontra a 2ª parte do filme prevista a partir das 01:30 da madrugada, a desoras portanto. Um mau serviço público é o que cabe dizer.

Sem comentários: