sábado, outubro 20, 2012

Uma criança em Quarteira: o elo mais frágil

Privar uma criança do pré-escolar de almoçar, foi a atitude arrogante e discriminatória da diretora do Agrupamento de Escolas Dra. Laura Ayres de Quarteira. A professora pode alegar todas as desculpas burocráticas sobre pagamentos e pode escudar-se no comunicado corporativo de docentes e funcionários, que nada retira a uma simples conclusão: vingou-se da precariedade financeira ou social dos pais penalizando uma criança a leite e sandes. O austeritarismo neofascista do governo PSD/CDS não só está a criar desespero nos trabalhadores. Pior que isso! Está a transformar a escola num espaço de vigilância e penalização dos mais fracos, fazendo-a abandonar os seus clássicos valores humanistas de solidariedade, ética e inclusão social. E está a transformar os diretores de escola em meros gestores do défice democrático da sociedade e do seu direito à escola pública.

Sem comentários: